Raio X de Tórax.

Paciente, 39 anos, sexo masculino, morador de rua, admitido no Hospital Santo Antônio com queixa de tosse produtiva, hemoptise, dispnéia e dor torácica ventilatório-dependente bilateral e  de forte intensidade  há 02 meses da admissão.Em outro serviço iniciou  tratamento para tuberculose  com duração de 45 dias (SIC). Nega febre; relata sudorese noturna e perda ponderal estimada em 2 kg no período. Refere inapetência , astenia. Diagnóstico de Hipertensão Arterial Sistêmica há 03 meses da admissão, fazendo uso irregular de anti-hipertensivo. Etilista importante (02 litros de destilado/dia) e tabagista (75 maços/ano) desde os 14 anos de idade. Nega uso de drogas ilícitas.

Exame Físico da admissão: paciente em REG e N, LOTE, eupnéico, descorado (+/IV), hidratado, dados vitais dentro da normalidade;

AR-Expansibilidade reduzida bilateralmente, timpânico à percussão e murmúrio vesicular reduzido em terço superior de hemitórax direito  sem ruídos adventícios;

ACV- sem alterações;

Abdome- flácido, RHA+, timpânico, fígado palpável a cerca de 2 cm do rebordo costal direito, doloroso à palpação em FID, sem sinais de irritação peritoneal;

Extremidades- bem perfundidas, sem edema, baqueteamento digital.

Diante desta história clínica e o Raio X, perguntamos:

1.Com base nas principais suspeitas diagnósticas, quais seriam os próximos exames complementares para esclarecimento deste caso?

Todo o caso clínico está no post Tumor de Pancoast do dia 23 de outubro de 2012.

FacebookTwitterGoogle+