Pelagra ; um problema antigo

A lesão do post Um problema antigo , foi de um paciente etilista crônico , que além das lesões simétricas em MMSS e MMII, apresentava diarréia e parestesias em MMII.O diagnóstico de pelagra foi feita e iniciado reposição vitamínica com melhora . Um pouco de História A Pelagra foi reconhecida em 1735, por GASPAR CASA, médico do rei Felipe V da Espanha,.Observando pacientes com demência e as lesões semelhantes a queimaduras em torno do pescoço que ficaram conhecidas como “Colar de Casal”. Depois foi associada a doença com pobreza e com ingestão de milho deteriorado.Essa coincidência levou erroneamente os investigadores a procurar agentes infecciosos e tóxicos no milho. O termo Pelagra, que significa “pele áspera”, denominada por FRAPOLLI, em 1771 na Itália.A melhora dos pacientes, quando em ambiente hospitalar, era atribuída ao repouso, ar fresco, exposição solar, água, tudo menos melhora na alimentação. Foi somente em 1810 que MARZARI suspeitou de um defeito na dieta alimentar. Causas: Hoje sabemos que a pelagra é causada pela deficiência de niacina (termo que engloba tanto a deficiência de nicotinamida quanto de ácido nicotínico).Também a falta de triptofano (aminoácido essencial que pode ser transformado em niacina pelos tecidos), assim como o excesso de leucina, poderiam inibir a síntese de niacina e causar quadro de pelagra. O que leva a deficiência de niacina; Dieta sem proteína animal como alcoólatras crônicos ;dieta a base de milho ;alteração do metabolismo do triptofano ( síndrome carcinóide ,Doença de Hartnup ) ;não esquecer o uso de certas drogas – O uso prolongado de isoniazida, uma vez que isoniazida esgota lojas de fosfato de piridoxal, o que aumenta a produção de triptofano, um precursor de niacina. Várias outras drogas induzir a deficiência de niacina inibindo a conversão do triptofano em niacina, incluindo 5-fluorouracil, pirazinamida, 6-mercaptopurina, hidantoína, etionamida, fenobarbital, azatioprina e cloranfenicol .A incidência atual da pelagra é desconhecida. A Pelagra não é uma doença tão comum quanto no passado, mas pode ser encontrada com certa freqüência em nosso meio, principalmente entre alcoólatras e em populações onde o milho é a principal fonte de energia , como China , Índia e África. Níveis sanguineos não são confiáveis. Níveis urinários do metabólito N-metil-nicotinamida (NMN) e N-metil-piridona-5-carboxamida estão diminuídos na pelagra. O diagnóstico é feito pelo quadro clínico associado a exposição a fatores de risco. É preciso estar atento para as formas incompletas, pois podem ser difícil diagnóstico, com sintomatologia por vezes só cutânea, só neurológica ou só gastrintestinal. O tratamento é a administração de niacina , convém repor também outras vitminas.A resposta é rápida , porém alterações cognitivas podem ser permanentes Refer6encias: Rev Soc Bra Clin Med 2008; 6(4): 139-141 Cecil ;Medicina 23 Edição.

FacebookTwitterGoogle+