Conn’s Current Therapy 2013: Expert Consult

Book Description

Ideal for busy medical practitioners who need quick, reliable answers, Conn’s Current Therapy is the one resource that focuses solely on the most up-to-date treatment protocols for the most common complaints and diagnoses. Hundreds of international contributors provide evidence-based advice to help you make more effective diagnoses and apply the most promising therapeutic strategies.

Apply the proven treatment strategies of hundreds of top experts in your field.

Get quick access to critical information with “Current Diagnosis” and “Current Therapy” boxes at the beginning of each chapter as well as standardized diagnostic points and clinical recommendation tables.Access the full text online-including four “bonus” chapters-anytime, anywhere at www.expertconsult.com.Easily reference in-depth topics such as chest pain, pseudomembranous colitis, metabolic conditions, digestive diseases, skin disorders, and more with a reworked organization that lets you look up specific illnesses and find all the information you need in one place.

Apply the latest treatment options for campylobacter and blood component therapy with the aid of two brand-new chapters.

Gain the most effective results for your patients with quick, easy access to the latest evidence-basedtreatments and therapies.
.
GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/68cfa7ae/1455702951.pdf

FacebookTwitterGoogle+

Essentials of Clinical Infectious Diseases (2013)

Book Description

This quick-reference handbook on clinical infectious diseases is intendedfor a broad medical audience. Written in outline format with 45 short focused chapters covering core infectious disease topics, the book provides a basic introduction to identifying and managing commonly encountered problems. Organized by system, each section begins with a general framework covering clinical presentation, laboratory and diagnosticevaluation, and empirical antibiotic therapy. Individual chapters within sections are devoted to particular problems and cover pathogenesis and risk factors, microbial causes, clinical manifestations, approach to the patient (history, examination, diagnostic studies), diagnostic criteria, and medical, antimicrobial, and surgical management. “Essentials of Clinical Infectious Diseases” features chapters that include suggested antibiotics specific to the disease process with adult, pediatric, and ob-gyn dosing considerations. It focuses on clinical approach to evaluation and management of the patient. It includes basic infection control procedures for hospitalized patients.
.
GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/213ec67b/1936287919.pdf

FacebookTwitterGoogle+

Chest X-Ray Made Easy, 3rd Edition

 

Book Description

Translated into over a dozen languages, this book has been widely praised for making interpretation of thechest X-ray as simple as possible. It describes the range of conditions likely to be encountered on the wards and guides the doctor through the process of examining and interpreting the film based on the appearance of the abnormality shown. It then assists the doctor in determining the nature of the abnormality and points the clinician towards a possible differential diagnosis. It covers the common radiological problems the juniordoctors are faced with starting with the appearance of the film, e.g. showing generalised shadowing or a coin lesion. It gives advice on how to examine an X-ray, how to check its technical quality and how to identify where the lesion is. All the X-rays are accompanied by a simple line diagram outlining where the abnormality is.

 

GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/36ec11cd/0443069220.pdf

FacebookTwitterGoogle+

ECG Interpretation: From Pathophysiology to Clinical Application

From the reviews: “This book provides basic information on ECG analysis as well as pathophysiologic and electrophysiologic concepts. … Theintended audience includes students, midlevels, physicians in training, and clinicians interested in cardiovascular diseases. … Numerous illustrations and pictures are easy to understand and concepts are clearly detailed. The multiple examples, summary … of each chapter are helpful and well done. The quality of ECGs, teaching points, and overall content of this book is excellent, making it a valuable teaching aid for students and practitioners of cardiology.” (Timir Paul, Doody’s Review Service, July, 2009)

GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/em95ec5f/0387888799.pdf

FacebookTwitterGoogle+

Intoxicação por Lítio.

Residência de Clínica Médica DO HGRS 

Sessão Integrada de  Clínica Médica

Apresentadora Dra Sarah Queiroz; MR 2 de Clínica Médica do HGRS

17 de abril de 2013

 Caso clínico

A.A.S.F., sexo feminino, 42 anos, casada, parda, dona de casa, natural e procedente de Salvador

QP: “tremores no corpo e dificuldade para andar há 15 dias”

HDA: Acompanhante relata que há cerca de 15 dias paciente passou a apresentar quadro de tremores difusos por todo o corpo, associados a sonolência, dificuldade para ingerir os alimentos e para deambular. Nega perda da consciência, crise convulsiva, febre.Relata que paciente faz uso crônico de carbonato de lítio, carbamazepina, prometazina e paroxetina.Evoluiu com piora dos sintomas, dos tremores e da sonolência, afasia, rejeição alimentar completa e impossibilidade de deambular. Os familiares suspenderam o carbolítio por conta própria e então procuraram a emergência desta unidade.

Interrogatório sistemático:

Apenas polaciúria

Antecedentes:

APP: HAS há 10 anos, em uso regular de Enalapril 20 mg/dia.

Relata diagnóstico de Depressão há aproximadamente 10 anos, Transtorno bipolar e Síndrome do pânico. Em acompanhamento no Hospital Juliano Moreira e no CAPS.Nega cirurgias prévias, transfusão sanguínea, alergia medicamentosa.

AF: Irmãos portadores de hipertensão e depressão.

HV e HBPS: Nega etilismo, tabagismo e uso de drogas ilícitas. Reside com o esposo. Bom relacionamento com os familiares. Faz atividades artesanais por incentivo do CAPS.

Exame físico:

Paciente em REG, vigil, eupneica, anictérica, hidratada, mucosas hipocoradas +2/+4. PA: 120 x 80  mmHg, FC:  80 bpm ; FR:20  ipm ;Tax: 38,1 °C

Pele e fâneros: íntegra, sem lesões, fâneros tróficos.

Ap. Respiratório: Tórax simétrico, sem abaulamentos ou retrações. Expansibilidade preservada. MVBD  com presença de roncos em ambos hemitórax.

Ap. Cardiovascular: Precórdio calmo, com BRNF, em 2 tempos, sem sopros.

Abdome: globoso à custa de panículo adiposo, flácido, indolor à palpação, RHA +, sem VMG e massas palpáveis.

Extremidades: perfundidas, sem edemas.

Neurológico: Vigil,  contactante com o olhar, com afasia de expressão, não responsiva aos estímulos verbais, reconhecendo os familiares. Pupilas isocóricas e fotorreagentes, presença de nistagmo. Avaliação dos pares cranianos, sensibilidade e força muscular prejudicada por falta de responsividade.  Fasciculações e tremores grosseiros em MMSS e MMII.

Litemia (05/02/13): 2,7 mEq/L

Evolução na enfermaria:

Mantida com hidratação venosa com SF 0,9%

Apresentou SU sugestivo de ITU,iniciado ceftriaxone, sem melhora, modificado para piperacilina+tazobactam

Cursou com IRA pré-renal e hipernatremia (Na: 165 mEq/L) ;Iniciada hidratação com solução hipotônica + água livre

Paciente passou a apresentar poliúria (DU: 7000 ml/24h)

Paciente evoluiu com melhora progressiva do nível de consciência, com cessação dos tremores, voltou a verbalizar e deambular.

INTOXICAÇÃO POR LÍTIO

Lítio: Estabilizador do humor ;biodisponibilidade: 95 – 100% ,pico de concentração no plasma: 0,5 -3h / 0,4-0,9 mEq/L ;início do efeito: 5 – 7 dias; máxima ação: 10 – 21 dias ; Meia-vida: 18 – 36h; excreção: urinária (95 – 99%) / ~ Na+; dialisável

INTOXICAÇÃO

Fatores de risco

  • Diarreia, náuseas e vômitos
  • Arritmias: prolongamento do QT, bradicardia
  • Sintomas neurológicos
  • SILENT (syndrome of irreversible lithium effectuated neurotoxicity)
  • Hipo/hipertireoidismo

MANIFESTAÇÕES

  • Letargia, confusão, agitação, ataxia, nistagmo, coreia, fasciculações, mioclonia, encefalopatia, convulsões, status epilepticus não convulsivo
  • Alterações CV,
  • Diabetes insipidus nefrogênico ,
  • Hipotensão
  • Síncope
  • Achatamento/inversão da onda T
  • BAV
  • AGU: albuminúria, poliúria, glicosúria
  • Dermatológico: ressecamento da pele, alopécia, foliculite, prurido

TRATAMENTO

  • ABC
  • Lavagem gástrica na primeira hora
  • Carvão ativado NÃO está indicado
  • Solução cristaloide e alcalinização da urina
  • Litemia a cada 2 – 4h (sem correlação clínica)
  • Hemodiálise
  • Litemia > 4,0 mEq/L
  • Litemia > 2,5 mEq/L + sintomas neurológicos graves / IR / restrição ao tratamento clínico
  • Recuperação tardia

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

  • Síndrome serotoninérgica
      • SNA: diaforese, febre, midríase, salivação, calafrios, taquicardia, hipertensão
  • Síndrome neuroléptica maligna
      • Delírio e confusão mental
      • Rigidez muscular intensa + tremores = efeito catraca
      • Opistótono, trismo, sialorreia, disartria e disfagia
      • Hipertermia (> 40°C)
      • Taquicardia, taquipneia, labilidade pressórica
      • ↑ CPK
  • Hipoglicemia
  • Infecção do SNC
  • AVC
  • Epilepsia
  • Coma mixedematoso ou tireotoxicose

FacebookTwitterGoogle+

Anemias. Parte II

Síndrome Mielodisplásicas (SMD)

Voltando ao tema anemia no idoso. Agora as síndromes mielodisplásicas, causa importante de anemia nesta faixa etária.

Algumas pessoas pensam em mielodisplasia quando encontram paciente com pacitopenia, porém basta uma citopenia para pensarmos e investigarmos essa patologia em pacientes. As mielodisplasias fazem parte das neoplasia hematológicas da série mielóide  pela classificaçãoo de 2008 da  WHO(World Health Organization). As SMD são raras antes dos 50 anos  e muito comuns em pacientes com idade superior a 70 anos.

São fatores de risco conhecidos quimioterapia ou radioterapia prévias  e com menor associação a exposição ocupacional a solventes ou produtos químicos e tabagismo. Algumas síndrome genética apresentam risco aumentado para o desenvolvimento das SMD assim como para leukemia mielóide aguda, são elas:

  • Síndrome de Diamond-Blackfan
  • Síndrome Shwach-Diamond
  • Disceratoses congenitas
  • Anemia de Fanconi

Então quando pensar em SMD?

Paciente acima de 60 anos com anemia ou qualquer outra citopenia, que apresente alterações como displasias eritrocitária, incluindo macrócitos ovais, hiposegmentação dos neutófilos e de plaquetas.

Essas alterações podem ser secundária a várias outras patologias que devem ser afastadas, que são:

  • Deficiência de vitamina B12
  • Deficiência de folato
  • Deficiência de cobre
  • Infecções virais, incluindo principalmente HIV
  • Tratamento com hidroxiuréia e outros quimioterápicos
  • Intoxicação por arsênico e chumbo
  • Alcoolismo crônico.
  • Algumas anemias congênitas.

Há uma variedade de SMD, de acordo com a morfologia, características das células mielóides da medula óssea (MO) e alteração no cariótipo, como mostado na tabela de classificação.

Critérios para diagnóstico de SMD: presença de >10% de displasia na série mielóide na MO, sendo necessário afastar leucemia aguda( >20% de blastos) e afastando também a leucemia mielomonocítica(monócitos > 100 mil).Importante lembrar que toda SMD tem risco de transformação leucêmica, pporém algumas variavéis morfológicas e citogenética apresentam um risco acima de 50%. Para isto existem escore prognóstico, com quatro categorias de risco:

  • Baixo risco com sobrevida de 97 meses
  • Risco intermediário 1 com 63 meses em média de sobrevida
  • Risco intermediário 2 com 26  meses em média de sobrevida
  • Alto risco com apenas 11 meses a sobrevida.

Para categorizar o paciente nesses escore de risco é avaliado:percentagem de  blastos, anormalidades citogenéticas, número de linhagens hematopoiéticas afetadas, além da idade, performances status, LDH, beta 2 microglobulina, fibrose na medula e trombocitopenia.

 

FacebookTwitterGoogle+