Hemograma. E agora?

Após pedidos, aqui vai a história clínica e mais imagens.

PAct de 65 anos, previamente hígido com história de diarréia há 8 meses.Sem outras queixas.No exame físico, paciente bastante emagrecido com ascite  sem visceromegalia , asculta pulmonar e cardíaca sem alterações e edema de MMII 2+/4 .

Além dessa leucocitose com eosinofilia, apresentava uma albunina 1.0.

FacebookTwitterGoogle+

Differential Diagnosis in Internal Medicine

A pragmatic approach to differential diagnosis gives rapid, reliable answers to these questions: Which diseases are likely? What causes them? What are the typical characteristics of these disorders? Do they correspond with the symptoms in question? How can the preliminary diagnosis be confirmed? Siegenthaler’s new Differential Diagnosis in Internal Medicine guides the reader through the challenges of differential diagnosis across the spectrum of internal medicine.

Practice-orientated learning:

Identify and understand key symptoms

Consider the whole patient in selecting possible diseases

Evaluate, exclude or confirm possible diagnoses

Make the correct diagnosis using an appropriate diagnostic procedure

Professor Walter Siegenthaler brings decades of international experience in clinical practice, teaching and writing on internal medicine to this new book. The book also benefits from close cooperation with the leaders of the specialist internal medicine departments at the University Hospital Zrich, and of other institutions and disciplines. The generalist and specialist aspects of internal medicine are thereby brought together to enhance the approach to the patient.

The book is directed at medical students, residents in most areas of medicine, practitioners of internalmedicine, general practitioners, dermatologists, neurologists and rheumatologists and those involved with the basic subjects in medicine who wish to gain competence and knowledge in internal medicine.

From Symptom to Diagnosis:

Organized by functional system and symptom constellations

Covers all fields of internal medicine plus special treatment of subjects dermatology, neurology and rheumatology

Typical findings and signs for differentiation of all common, rare and even exotic diseases with pathophysiological background information

Nearly 1000 stunning figures and many instructive table-format overviews and differential diagnostic algorithms

Differential diagnostic evaluation of common laboratory test results, including step-by-step plans for further diagnosis

Learn by tracing the path from symptom to diagnosis, just as the physician encounters the situation in practice!
.
GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/4afm5b71/1588905519.pdf

FacebookTwitterGoogle+

THE WORLD’S BESTSELLING MEDICAL REVIEW BOOK–WITH MORE THAN 1,200 FREQUENTLY TESTED FACTS AND MNEMONICS

 

THE WORLD’S BESTSELLING MEDICAL REVIEW BOOK–WITH MORE THAN 1,200 FREQUENTLY TESTED FACTS AND MNEMONICS

Conveniently organized by organ system and general principles

125+ color clinical photographs integrated throughout the text

Hundreds of full-color illustrations clarify essential concepts and improve retention

Rapid-review section for last-minute cramming

Detailed test-taking strategies to help you maximize your study time

Hundreds of student-recommended USMLE Step 1 review resources

Advice from students who aced the 2012 exam

1200+ frequently tested facts and mnemonics

Hundreds of high-yield color images and diagrams throughout

Student ratings of more than 300 review products
.
GET IT HERE
.
http://filepost.com/files/e38fd332/0071802320.pdf/

FacebookTwitterGoogle+

Cardiomiopatia não compactada – by Fábio Soares

RECOMENDO ESSE BLOG.  http://ecobahia-mitoseverdades.blogspot.com.br/2013/01/cardiomiopatia-nao-compactada-by-fabio.html

A cardiomiopatia não-compactada (CMNC) é um distúrbio congênito geneticamente heterogêneo, caracterizado por um padrão trabecular proeminente e recessos intra-trabeculares profundos que não estão conectados com a circulação coronariana e são cobertos por uma camada de endocárdio contínua com a parede ventricular, tornando-a suscetível à formação local de trombos.
– A causa da cardiomiopatia não-compactada parece ser uma anormalidade morfogenética que detém a compactação do miocárdio durante a embriogênese. No desenvolvimento normal, o coraçãocompacta-se no sentido da base para o ápice e do epicárdio para o endocárdio.
– Mutações no gene G4.5, no cromossomo Xq28 são responsáveis pela não compactação ventricular e resultam numa amplo espectro de fenótipos de cardiopatias graves, incluindo casos de ventrículo esquerdo não-compactado isolado, até a síndrome de Barth (cardiomiopatia dilatada, miopatia esquelética, neutropenia e anomalias mitocondriais).
– A CMNC pode resultar em disfunção sistólica e diastólica do ventrículo esquerdo. A disfunção sistólica pode estar relacionada a hipoperfusão endocárdica e disfunção da microcirculação; enquanto a disfunção diastólica está relacionada com relaxamento anormal e restrição ao enchimento do VE devido a inúmeras trabéculas.
– Em adultos, um ou mais segmentos, especialmente das regiões apical, médio-lateral e médio-inferior do VE (e por vezes de ambos os ventrículos) são os mais acometidos.
– O diagnóstico da cardiomiopatia não-compactada é frequentemente “esquecido”ou errôneo, devido à falta de conhecimento da doença e por que outras doenças cardíacas apresentam características similares; assim, é necessário distingui-la de outras patologias nas quais o aumento da espessura da parede ventricular e um padrão trabecular proeminente são observados, como na cardiomiopatia hipertrófica e cardiopatia hipertensiva, bem como a cardiomiopatia dilatada, na qual a hipocinesia generalizada, dilatação das cavidades cardíacas e grave disfunção ventricular esquerda são encontradas.

 

VEJAM OS VÍDEOS NO LINK   http://ecobahia-mitoseverdades.blogspot.com.br
– A ecocardiografia bidimensional com mapeamento de fluco a cores é o método de primeira escolha para diagnóstico. Os critérios mais utulizados são:
VEJAM OS VÍDEOS NO LINK  http://ecobahia-mitoseverdades.blogspot.com.br

 

 – Outras modalidades diagnósticas podem ser utilizadas tais como a ressonância magnética, tomografia computadorizada e a ventriculografia.
– A  alta incidência de fenômenos tromboembólicos na CMNC eprovavelmente resulta daformação de trombos locais nos recessos intertrabeculares. Com base na elevada frequência de eventos embólicos, os pacientes devem ser submetidos a anticoagulação sistêmica, independentemente de trombos visualizados ao ecocardiograma.
– O tratamento medicamentoso é similar ao de outras cardiomiopatias. Certas características clínicas parecem determinar pior prognóstico: maior diâmetro ventricular, CF NYHA III/IV, FA e bloqueio de ramo esquerdo. Se o tratamento medicamentoso não for eficaz, o transplante cardíaco é uma terapêutica possível.
FacebookTwitterGoogle+